Corra Mary
09 jun 2008

Conto de fada moderno

” Pois as fêmeas sempre arcaram com a pior parte da espécie humana: parir, perdoar, e varrer a casa.” (Fernanda Young)

 

 

 

 

E se os contos de fadas não tivessem acabado no final feliz?

Talvez não seriam lidos para as crianças antes de dormir…

 

[Cinderella]

(…) E logo apos 3 meses de casados, Cinderella, mais conhecida como Gata Borralheira, começou a beber todas as noites, por causa de uma depressão profunda devido a problemas em seu casamento. Ela engordou o dobro do seu peso, o que não ajudou muito nos seus 1,50 de altura.

O Príncipe por sua vez, mantia casos extra-conjugais com as putinhas do reino, bulinava criancinhas, votou no Lula, e passou a bater em Cinderella.

Cinderela farta dessa vida, resolveu fugir com o cocheiro, um Mexicano que viva clandestinamente em sem reino encantado, 50 anos, pai de 8 filhos (todos no México), viúvo e que carregava um chaveiro do AA com o maior orgulho do mundo.

 

FIM

 

 

[Branca de Neve]

Essa moça branca como a neve, e de olhos e cabelos negros, por muito tempo viveu sim uma linda e romântica historia de amor com toda a paz que poderia querer, até que o Principe Encantado resolveu se inscrever num reality show. Com seu invejável currículo de casamento com uma famosa, aventuras contra uma bruxa, e sua aparência de galã, entrou quase sem precisar chupar ninguém.

E foi toda aquela putaria que já conhecemos: Beijou metade da casa, mais o cachorro e o Pedro Bial, não chegou entre os três finalistas, foi capa de todas as revistas de fofocas com dizeres bregas em letras garrafais e coloridas, e se divorciou de nossa pobre Princesa, q por sua vez colocou silicone nos peitos, nos lábios, fez lipo, tingiu os cabelos de loiro, era figurinha constante no Tv Fama, posou 3 vezes em menos de um ano nua em diversas revistas, e gravou um filme pornô com os 7 anões, intitulado de: A princesa sapeca, os anões foguentos, e a maçaneta do pecado) – Que aliás, foi um sucesso de vendas.

 

FIM

 

 

[Ariel]

Nossa querida Ruiva, chegou ate a ter uma filhinha, que por sinal era a sua cara. Mas o que ela não sabia era que seu marido, todas as noites se vestia com suas roupas e ganhava a vida como Lady Princess Macbitch. Sim, aquele homem que ela conhecia, sagaz e selvagem na cama, era mesmo uma biba enrustida, que só resolveu sair do armário, quando se apaixonou perdidamente por um ator pornô aposentado. Os dois foram morar juntos numa casa de 3 andares, adotaram dois filhinhos Africanos, e alguns anos depois, viraram evangélicos.

Ariel começou então a freqüentar grupos de solteiras, se inscreveu em sites de relacionamento, e passou a ir em debates sobre livros de auto-ajuda. Era uma feminista, vestia blusas com dizeres “Posso ser feliz sozinha” e “Eu quero, eu posso, eu consigo” e se dizia superior a ele, por não guardar ressentimentos, mas queimara suas fotos de casamento e chorava todas as noites.

 


Postado por Marina | Categorias: Crônicas, Marina
POSTS Relacionados

Este post tem 0 comentários

Comentário Fechado.